Quais são os impactos da LGPD no Marketing Digital? Entenda aqui

6 minutos para ler

Conhecer sobre os impactos da LGPD no marketing digital é essencial para os profissionais responsáveis pela área nas empresas. Afinal, a nova legislação entra em vigor em agosto de 2020 e é preciso que tudo seja adaptado até lá.

É por isso que você precisa estar alerta, já que qualquer passo em falso poderá fazer com que a empresa seja multada ou sofra penalidades. A adaptação deve ser feita quanto antes, já que o tempo está correndo e faltam poucos meses para a Lei vigorar.

Portanto, leia este conteúdo com atenção e entenda quais são os impactos da LGPD no marketing digital. Em seguida, busque meios para fazer as adaptações necessárias. Acompanhe o post e fique por dentro do assunto!

O que é a LGPD?

LGPD significa Lei Geral de Proteção de Dados. Trata-se de uma nova legislação, que foi sancionada em novembro 2018, pelo ex-presidente Michel Temer (MDB). O documento assinado alerta que as novas medidas começam a vigorar em breve.

Inspirada no General Data Protection Regulation (GDPR), uma lei europeia, a LGPD visa proteger os dados dos usuários. Em resumo, cada pessoa ou empresa passou a ser titular das suas informações.

Assim sendo, os dados de terceiros só podem ser utilizados por uma companhia se houver o devido consentimento dessa pessoa ou empresa. Isso afeta diversas áreas diretamente e o marketing é uma delas.

Quais são os principais impactos da LGPD no marketing digital?

Falando especificamente dos impactos da LGPD no marketing digital, criamos tópicos que mostram como são as mudanças e adequações previstas para cada uma das principais subdivisões dessa área. Confira!

Inbound marketing e geração de leads

Se feito corretamente, o inbound marketing não será afetado pelo LGPD. Isso porque os dados utilizados nesse tipo de estratégia contam com o consentimento de seus proprietários. O que precisa ser feito é deixar claro para o usuário que ele autorizará o uso dos seus dados para receber materiais e promoções de uma empresa, por exemplo.

Desse modo, quando a empresa disponibiliza um e-book para download em uma landing page, por exemplo, ou convida o usuário para assinar uma newsletter, deve-se deixar claro que ele autoriza o uso de seus dados.

De tal forma, o usuário preencherá o cadastro com seus dados pessoais, como endereço de e-mail e telefone. Ele precisa estar consciente de que, mais tarde, poderá receber mensagens ou outras formas de contato, com material informativo ou publicitário da empresa.

Para isso, é suficiente que você coloque uma mensagem nos sites ou landing pages. Algo como “eu concordo com o uso dos meus dados pela empresa tal”. Ao marcar como positivo essa informação, a estratégia de inbound marketing pode seguir, sem preocupações em infringir a LGPD. Dessa maneira, a geração de leads poderá ser realizada sem grandes preocupações, afinal, haverá o consentimento dos usuários.

Marketing de conteúdo

No marketing de conteúdo os impactos também não serão muito significativos. Pelo contrário, esse tipo de estratégia tende a ganhar ainda mais força com a LGPD. Isso porque essa metodologia parte do pressuposto de que o próprio usuário buscará por informações fornecidas pela empresa.

As marcas produzem conteúdos relevantes para os seus blogs, redes sociais e outros canais. Assim, as pessoas interessadas nesses temas fazem buscas na internet e acabam os encontrando.

Depois de estabelecida uma relação de confiança e engajamento com a marca, caso deseje, o cliente poderá entrar em contato com a empresa e solicitar o contato para saber mais sobre um produto ou serviço.

Em outras palavras, não há uso indevido de dados nessa estratégia. O único cuidado que deve ser tomado é, nos blogs e sites, caso sejam usados cookies, deixar isso claro e solicitar que o usuário conceda permissão para tal.

E-mail marketing

O e-mail marketing é uma das estratégias que mais terão impacto com a LGPD no marketing digital. Isso porque é muito comum as empresas terem listas de e-mails enormes e enviarem mensagens promocionais para essas pessoas.

O problema é que muitos desses contatos não deram permissão para isso. Não é raro encontrar na internet listas de e-mails de moradores de uma determinada cidade ou empresários de tal segmento para comprar, por exemplo.

As próprias entidades de classe e sindicatos faziam listas de seus associados e repassavam a quem tivesse interesse. Isso não será mais permitido! Com a LGPD, ninguém pode repassar dados de terceiros sem o devido consentimento, tampouco enviar e-mails.

Para contornar essa situação, uma medida a ser tomada é enviar um e-mail para toda a sua base de contatos, solicitando uma autorização expressa para continuar enviando mensagens para aquela pessoa.

Desse modo, deve-se registrar quais foram as respostas positivas e somente enviar e-mails para quem autorizou essa prática, no futuro. A partir de então, todo e-mail cadastrado no mailing list deve ser consentido pelo usuário. Somente assim a técnica poderá ser utilizada sem descumprir a LGPD no marketing digital.

Como se adaptar para cumprir a LGPD no marketing digital?

Para cumprir a LGPD no marketing digital, a regra é clara: tenha consentimento para usar os dados de terceiros. Todas as estratégias devem ser revistas com cautela, para verificar se existe a possibilidade de alguma informação estar sendo coletada de forma indevida. Caso isso seja diagnosticado, deve-se buscar meios para resolver a situação.

Além disso, é importante entender que as pessoas agora são proprietárias de seus dados em totalidade. Isso quer dizer que, mesmo que tenha dado consentimento para receber e-mails, por exemplo, caso o usuário mude de ideia e solicite a exclusão do dado, isso deverá ser feito de forma imediata.

Se houver irregularidades, o titular do dado poderá fazer uma denúncia para a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). Isso gerará uma investigação, cujos resultados podem ser multa para a empresa, que pode ser de até 2% do valor total do faturamento da companhia, limitado a R$ 50 milhões.

Agora que já conhece os impactos da LGPD no marketing digital, não deixe de analisar a situação, estudar sobre os seus efeitos e selecionar os melhores meios para adaptar a sua estratégia!

A Strong Security é especialista em LGPD e pode ajudá-lo nesse momento. Entre em contato conosco e se informe sobre as principais obrigações da nova lei!

Você também pode gostar